Oscar 2016 - Opinião - "Coadjuvando"

Oscar 2016 – Opinião – “Coadjuvando”

“Nas artes cénicas, um ator/atriz coadjuvante ou secundário é uma categoria de ator em uma peça teatral, filme ou qualquer outra manifestação dessas artes que coadjuva, dá suporte, contracena com os atores responsáveis por desenvolver a trama principal da obra e, com sua interferência, auxilia os mesmos a transmitir suas mensagens e ideias; é um ator/atriz que interpreta papel secundário,também é um ator/atriz que acarreta quase todas as fases de maior cenas de espectactividade.”

Um definição básica da função do ator coadjuvante, eu digo básica porque foi uma definição procurada rápida e propositalmente de forma rasa só pra que possamos atingir um determinado ponto.

Uma premiação que tem uma determinada categoria que se destina a premiar o ator que faz seu papel de coadjuvante da melhor forma deve levar o que em consideração se não quem fez a melhor performance do ano?

Essa frase soa extremamente redundante porque ela é de fato, jamais pensei que deveria que discutir que prêmio,premia o melhor em executar algo previamente determinado.

O caso dos prêmios que o Stallone ganhou e o Oscar que ele perdeu é algo a se pensar. Claramente, Stallone não fez a melhor atuação entre os concorrentes, eu digo claramente para quem se deu ao imenso trabalho de ver todas as performances indicadas, porque se não você não as viu, pouco ou nada você pode julgar nesse caso.

Por ter sido uma atuação acima da média, varias vezes dita como a “melhor de sua carreira” diversos prêmios da temporada primaram por homenagear esse ator que tanto fez pela sétima arte, pelo gênero da ação e por sua extensa carreira e muitos se agradaram disso.

E então a Academia, o prêmio mais aclamado decidiu premiar apenas pela atuação deixando qualquer sentimentalismo de lado e o prêmio foi para Mark Rylance, que estava brilhante em ‘Ponte dos espiões’.

O problema começa quando as pessoas como a justificar a então indignação pelo Oscar perdido de Stallone com justificativas que não tem nada,absolutamente nada a ver como a questão que realmente importa.

“Ele merecia pela carreira”. “Ele estava extremamente a vontade no papel”. “Ou ele ganha agora ou não ganha mais”. “Ninguém vai lembrar desse Rylance”. “A Academia perdeu a oportunidade de homenagear Stallone”.

Sejamos honestos; o Oscar de ator coadjuvante julga uma performance direta,não deveria levar em consideração extensão de carreira ou papeis anteriores.

Ele estar a vontade num papel que já faz há anos é quase uma obrigatoriedade.

Se ele merecer ele irá ganhar, atores mais velhos que Stallone já ganharam, Oscar não tem limite de idade (Christopher Plummer com 82 anos ganhou,por sinal).

Mesmo se ninguém lembrar de Mark Rylance,não muda o fato de que ele mereceu e ganhou seu Oscar, eu não lembro todos que já ganharam Oscar…vocês lembram?

Oscar não homenageia nessa categoria, premia o melhor. Dito tudo isso, a Academia poderia sim tê-lo homenageado, poderia porque já fez outras vezes, dando o premio não pra quem merecia e sim por outras razões.

Mas dessa vez não o fez. E deveria ser sempre assim, isso seria o sensato.

Que o melhor leve o premio deveria ser uma obviedade.

A maioria das pessoas que disseram que foi injusto, nem ao menos viram Mark Rylance atuando no filme em questão. Sejam fãs do Stallone e do Rocky, mas não houve injustiças nessa categoria do Oscar.

Houve uma interessante surpresa.

Que nada muda a importância,o poder, o carisma e tudo que Stallone representa pro cinema.

Fico mais triste por Tom Hardy que se levasse o premio seria igualmente justo.

Mas o dele há de vir.

Enquanto isso, parabenizo Mark Rylance pela sua conquista pouco comemorada mas de fato justa!

Comentem logo abaixo o que acharam desta matéria!

Até a próxima!


 

banner_728x90

About The Author

Jéssica Ribeiro

Jéssica Ribeiro, 23 anos, carioca. Cinéfila,Nerd,Seriadora, amante de Literatura e de nutella.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.